segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

Caracolando



Casa de bonecas da Artista Russa Ilonessa

Depois de três anos circulando por aí, volto com muita alegria para a minha cidade, Belo Horizonte. Após três cidades, três escolas e três residências muita coisa mudou, além do meu CEP. Tive dificuldades em decorar de novo meus telefones e senhas de banco. Aprendi um pouco mais, principalmente sobre o modus operandi das cidades do interior de Minas Gerais. Algumas vezes senti a minha condição de forasteira na carne, principalmente diante da religiosidade e do tradicionalismo. Meu carro, que era pequeno, foi trocado por um grandão com aparelho de DVD. Foram cerca de 32 mil km em viagens com crianças fora as viagens de férias e feriados. Aproximadamente 5 mil km de viagens aéreas em 5 meses e 27 mil nas estradas esburadas de Minas em 2 anos de meio. Durante o início da crise aérea, ainda em 2006, demorei cerca de 17 horas com uma criança de 3 anos para chegar ao me destino. A loja da turma da Mônica em SP me salvou. Vi uma cena clássica no Fantástico em períodos chuvosos_ moradores das regiões ribeirinhas tampando os burados da estrada com enxada para logo em seguida esvaziá-los. Conheci um envelope descartável para as meninas fazerem pipi em pé, descobri onde vende o papel para cobrir o vaso sanitário e meu porta-luvas não fica sem lenço umedecido. Troco fraldas em porta-mala numa boa. Arrumo a minha mala e das crianças em meia hora. Comecei a comprar roupas que não amarrotam facilmente. Dei banho em bebê usando banheira inflável e balde. Aprendi um sem número de brincadeiras para aplacar o tédio infantil _ desenhamos mapas, fazemos quadros com elementos comuns em uma estrada (placas losangulares, quadradas, carroças, motos, caminhões, pontes, etc...) que são marcados a medida em que aparecem com pauzinhos e depois contabilizados pela criança...Minha amiga Flávia Tiné de São Paulo me ensinou um jogo de adivinha de personagens. Alguém pensa em um personagem de tv ou de livro e os outros elaboram perguntas respondidas com Sim ou Não, tentando descobrir quem é o personagem.

Não foi fácil, mas já tinha me acostumado. Só não acostumei a me despedir, isso ainda dói, porque onde quer que se esteja, pessoas queridíssimas teimaram em aparecer e me mostram como o mundo pode ser diferente se visto de outras janelas.

Vou começar aqui uma série chamada Caracolando, pretendendo pensar diversos temas dentro desse enfoque: o dia da mudança com crianças e como prepará-las, o aluno nômade e o sentimento de eterno novato, respeitando as diferenças culturais, o brincar e a cultura da criança por aí.


Espero que meus pneus carecas me rendam alguns posts.


: )


_Cibele_




3 comentários:

Claudia disse...

Taí. Eu podia pegar carona na tua série Caracolando. O espaço entre Brasil e Itália é considerável hehe. Embora sem criança na jogada, imigrar me fez rever diversas situações infantis. Estive pensando na relação entre desenvolvimento cognitivo e contexto, e coisas do gênero. Piaget tinha razão, o contexto (e suas mudanças) mexem muito com a gente em todos os sentidos, não só o afetivo.
BEM-VINDA A CASA, Ci!! Nos vemos em junho na nossa cidade-ladeira.

maiscanela disse...

Estou doida para ler os novos posts. Os pneus carecas trouxeram inspiração. Felicidades na casa nova, Ci! Beijos.

Cibele disse...

Demais, Clau...Eu acho que a sua experiência é muito rica. Pega carona, sim...

Ei, ::Fer::, que bom você por aqui... Espero não desapontar a sua expectativa...beijos e Feliz Natal!

 
BlogBlogs.Com.Br