segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

Na volta às aulas

Um texto sobre adaptação.

_Cibele_

4 comentários:

Claudia disse...

Ihhh, Ci, esse texto é bacaninha, mas tem uns deslizes que é preciso pontuar. Tipo: Piaget educar frances? Ops! coisa, o ultimo item sobre a presença dos pais durante a adaptaçao. Tem presença e presença. Acho que a autora queria dizer que os pais devem ser acolhidos pela escola, mas o titulo sugere que devem estar junto com os filhos. Eu sou super contra essas semanas e semanas de maes (principalmente) nas turmas junto com as crianças. A minha experiencia me ensinou que as crianças trabalham por configuram, e se configuram a mae dentro da escola, mesmo se ela sai depois de um ano elas chorarao. Por isso, sempre preferi fazer a adaptaçao gradativa, mas com a criança ja no grupo, com o educador. A mae pode até ficar por perto, e o coordenador vai dando as noticias. Mas juntos atrapalha e muito!
Beijo!

Claudia disse...

Desculpem os errinhos de digitaçao, foi a pressa.
Errata: Falta OUTRA antes de coisa,
as crianças trabalham por configuraçAO.

Cibele Carvalho e Claudia Souza disse...

Hahahahaha...educador francês é massa! Nem tinha reparado...

Bom, quanto a presença dos pais na escola não tenho nada contra. Nem acho razoável impedir a presença dos pais, nem obrigá-los a ficar. Conheci uma escola em que os pais só iam embora quando a criança dizia tchau!

O que eu achei legal nessa matéria foi justamente a relativização dessas regras. Toda criança se adapta a uma cultura diferente da família, então tem que ver que cultura familiar é essa, que cultura escolar é essa, onde elas convergem e onde divergem.

Sensibilidade, tranqüilidade e jogo de cintura me parecem as maiores ferramentas das boas adaptações...

Sócia, te liguei, o Davi te falou?

Beijos

Claudia disse...

O que eu acho também é que pode - e deve- ser uma coisa muito conversada, argumentada com a familia. Mas deixar a coisa na mão da criança - essa idéia de esperar ela dizer tchau - eu não gosto não. Acho muito peso nela. Imagina se ela diz tchau no primeiro minuto hahaha a mãe morre de paixão hahaha Mas enfim, acho importantissima essa figura que media a adaptaçâo, com atenção e afeto. Essa pessoa é que vai dosando tudo com todo mundo, sem rigidez, com muita escuta, pegando cada caso dentro das linhas gerais. É um período delicado esse, que trabalha a separação. Deve ser muito bem conduzido.
No mais, o texto é bem legal sim.

 
BlogBlogs.Com.Br