domingo, 1 de março de 2009

Máquinas de brincar

Ontem, completamente por acaso, "esbarrei" nelas, passeando pelo centro de Milão. Já tinha visto o site , indicado por uma colega designer; coisa fascinante. Mas vê-las ao vivo, funcionando, é uma outra coisa. É o Grupo espanhol Guixot de 8, de Barcelona, e suas incríveis máquinas de brincar. Todas feitas com material recuperado (que eu prefiro - isso aprendi aqui - não chamar de sucata, escrevo sobre isso em outra oportunidade). O título da intervenção, feita em praça pública em pleno Carnaval Ambrosiano, era "Brincadeiras por um futuro sustentável".
Eu estava sem câmera fotográfica, mas a Doca (Alessandra Latalisa) da Escola Balão Vermelho, que estava comigo, fez estas belas imagens e gentilmente cedeu para serem compartilhadas com vocês, leitores do Quintarola.




Esta ao lado era uma roda com algumas "pinças" e bolinhas dentro dos diversos aros. A brincadeira era capturá-las com as diversas pinças, enquanto girava-se.




Já esta outra acima era uma figura humana feita de molas, cordões e peças automotivas. O jogo era levar o dedo indicador à "boca" para fazer a expressão de "pssssit", puxando os cordões e equilibrando os "braços" com as "mãos".





Ao lado: uma máquina feita a partir de uma pia de cozinha. Debaixo da base, "controles" imantados que conduziam pequenas esferas pela superfície. Um jogo de habilidade.









Eram tantas... podia-se estar ali a brincar ou a observar o dia inteiro. Instigantes, divertidas, verdadeiras "traquitanas" que pareciam saídas dos apontamentos de Leonardo Da Vinci. Às vezes, a engenhosidade de alguns adultos pode "acessar" o universo da criança e jogar com ele de um modo bem harmônico... no caso dessas máquinas, com o a-mais de propor um re-uso de materiais desprezados pelo sistema social - atitude tão fundamental para as novas gerações.



_ Claudia Souza_

5 comentários:

QUINTEIRAS disse...

Que bacana, Clau!!! Adorei!!! Pirncipalmente a bacia com ímãs...Super "fazível", né?

Luiz Carlos Garrocho disse...

Maravilhoso, Cláudia!

Quando li o título, fiquei encucado: máquinas de brincar? Depois, fui sendo tomado pela coisa...

Fiquei também muito contente de ver que a Doca (Alessandra Latalisa) estava com você. Foi minha aluna nos idos do Balão Vermelho, nas brincadeiras de quintal, na melhor fase, quando eu não sabia nomear o que estava fazendo... Eu brincava!

E o mais bonito é isso: uma cidade para as pessoas e não somente para o tráfego!

Abraços

Cremilda Lopes disse...

Oi Claudia ! Já tinha visto a roda sendo reaproveitada como churrasqueira, mas como brinquedo ficou Legal!!!

Claudia Souza disse...

Pois é, Garrocho e Cremilda, essas maquinas sao geniais! Sao deixadas ali ao bel prazer do brincante, e tem mil e uma possibilidades.E essa coisa do re-uso é sensacional, né?

Garrocho, a Doca veio fazer um curso em Reggio Emilia e aproveitou pra conhecer um pouco do meu trabalho aqui em Milao, com o grupo da ProgettoQualeGioco. Eu também a conheci quase-menina! Tamos velhos! hahaha Morro de saudade daqueles tempos de Balao na casa. A gente brincava mesmo!

Aqui na Europa tem esse conceito da cidade ser VIVIDA pelas pessoas muito forte. Tanto que quase todo centro de cidade é reservado aos pedestres. Tem muita coisa pra ver e viver a pé, e eles tem orgulho disso.
Abraços!

Cremilda, pois é, essa da

Claudia Souza disse...

(...) essa da roda é uma achada mesmo, né?

Garrocho de novo, vou puxar a sardinha pro nosso lado: naquela época a gente também era quase-menino! hahahaha

 
BlogBlogs.Com.Br